A ansiedade e os efeitos na saúde gastrointestinal

A ansiedade é um mal que atinge milhões de pessoas e, em tempos de COVID-19, o seu surgimento foi potencializado diante do isolamento social, das incertezas do amanhã e da mudança brusca na rotina de muitas pessoas.

 

E a ansiedade traz diversas consequências para a saúde física e mental, afetando inclusive o estômago e gerando a gastrite nervosa, uma sensação de queimação e desconforto na barriga.

 

A gastrite nervosa acontece porque, quando ficamos ansiosos ou estressados, o cérebro entra em estado de alerta e produz mais adrenalina e cortisol, permitindo que o corpo fique pronto para reagir a uma ameaça iminente, mas isso tem, como consequência, o aumento de ácido no suco gástrico, em volume que o sistema digestivo não consegue processar de forma correta, gerando irritação e desconforto abdominal.

 

Com o tempo, esse desconforto estomacal pode se tornar crônico e até originar problemas gastrintestinais como úlcera, gastrite, doenças inflamatórias e síndrome do intestino irritável, entre outros, sendo importante sempre observar os gatilhos que geram o stress e ansiedade.

 

Dentre os principais sinais de que o desconforto estomacal pode ter origens emocionais estão:

 

  • Dores de estômago
  • Sensação constante de desconforto
  • Náusea
  • Sensação de estômago cheio
  • Inchaço abdominal e dor
  • Má digestão
  • Dor de cabeça e mal-estar
  • Perda de apetite, vômito ou vontade de vomitar

 

Sendo que, por esses sintomas serem facilmente associados a outras doenças gastrointestinais, é importante observar se eles surgem em momentos de forte stress ou ansiedade, além de ser necessário procurar acompanhamento psicológico, que em conjunto com o seu médico gastroenterologista, pode diagnosticar se a causa dos desconfortos são emocionais ou fisiológicas.

 

É possível aliviar e até eliminar os sintomas do desconforto abdominal gerado pela ansiedade através de algumas medidas simples no seu dia a dia, tais como:

 

  • Beber chá como camomila e erva cidreira
  • Meditar
  • ´Praticar exercícios físicos
  • Fazer pausas durante o seu trabalho
  • Desligar a mente e se distanciar das fontes de stress e ansiedade

 

Além disso, é importante evitar alimentos ricos em gordura e que irritam o estômago, como carnes vermelhas, embutidos, frituras, café e refrigerantes, sendo importante priorizar alimentos mais naturais, leves e ricos em nutrientes, os quais, além de contribuir para diminuir a ansiedade, também ajudará a fortalecer a saúde e o sistema imunológico.

Voltar para Artigos

ARTIGOS POPULARES

A importância da doação de sangue

20 de novembro de 2019

SonoScape

12 de setembro de 2019

Catálogo GFE

22 de agosto de 2019

NEWSLETTER